domingo, 4 de outubro de 2009

Comentário

Acredito que a cada nova etapa é evidenciada a importância de estar pesquisando, buscando referencias e conhecimento de técnicas que nos dão bases para a concretizar um trabalho funcional e bem realizado, portanto acredito que estar ciente dessas técnicas que comprovam e ajudam a compreender este processo é dever do educador de artes, pois estas darão garantias e segurança em desenvolver junto ao aluno uma aula rica em conhecimentos e diversidade.
Certamente todo o processo vivenciado nos encontros presenciais, no trabalho em grupo e na confecção da mascara individualmente somaram e continuarão somando no meu processo de aprendizagem, pois cada vez mais acredito que a teoria se completa com a pratica que serve para unificar compreensão e entendimento.

sábado, 3 de outubro de 2009

Mascara pronta!!!

Paleta de cores individual e imagens da mascarada personagem "Gata" pronta e do grupo.















O grupo de mascaras !!!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Mascara pronta!!!

trabalho final - Mascara pronta e processo de confecção


Processo de Criação e excussão da Mascara.

No primeiro momento escolhia a personagem GATA do espetáculo “Saltimbanco” para a realização do projeto da mascara, posteriormente em grupo decidimos realizar um sorteio para a escolha dos personagens para cada integrante do grupo, para assim ser uma escolha em comum consenso, onde coincidentemente fui destinada a realizar a confecção da mascara da Gata que anteriormente já havia escolhido. Nesta reunião traçamos um cronograma de trabalho e decidimos a paleta de cores utilizadas no projeto da confecção das mascaras e o elemento de unidade do grupo. O grupo decidiu em utilizar as seguintes cores: Branco, preto, amarelo, vermelho e verde. Escolhemos com elemento de unidade a utilização da massa corrida.

Após este processo comecei um trabalho de pesquisas sobre as características desse animal que poderiam ser exploradas e realçadas. Estas pesquisas foram desenvolvidas através de sites na Internet, observação dos animais da vizinhança, a leitura do texto referente ao projeto e as referencias coletadas a partir de pesquisas realizadas sobre a caracterização zoomorficas dos personagens da Commedia dell’ Arte. Além das características físicas também procurei pontos relevantes no comportamento do animal que pudessem influenciar na expressão que quis representar na mascara.

Inicialmente realizei vários esboços a fim de alcançar uma melhor identificação entre proposta do trabalho, relação estética, linguagem do espetáculo e características zoomorficas da personagem.

Após este processo de pesquisas e testes com desenhos parti para a confecção pratica da mascara. Seguindo os procedimentos realizados na oficina com a professora Sonia Paiva: modelagem com massinha, impermeabilização do molde de massinha, aplicação da tela de florista, empapelamento e retirada da masca do molde de massinha; através desse procedimento confeccionei a mascara da personagem "GATA".

Agora com a mascara já pronta para a fase de pintura e acabamentos escolhi minha paleta de cores individual a partir das cores anteriormente escolhidas pelo grupo, procurei utilizar as cores matriz e tonalidades referentes a misturas das mesmas, que consistiu em: branco, preto, vermelho, tonalidades em cinza escuro, cinza claro e rosa. Onde utilizei o cinza escuro para a cor predominante da personagem, o cinza claro para realçar os detalhes mais pertinentes, o rosado para o focinho e boca e o branco para clarear, ressaltar detalhes e como característica de cor da pelagem do animal/ personagem.

Para a utilização do elemento de unidade do grupo (massa corrida) apliquei uma demão de massa na parte superior da mascara e para dar o efeito desejado passei um pente fino que fizeram riscos que deram sugestão de pelos assim alcançando a textura desejada e o senso estético escolhido por todos.

Todas as etapas descritas nessa tarefa desde a realização dos desenho/ esboços, confecção da mascara e sua finalização durou cerca de quatro dias. O resultado final ficou interessante e acredito ter alcançado a proposta do que foi sugerida na atividade e pelo grupo.


Processo de confecção da mascara.

Seguindo os procedimentos citados na oficina com a professora Sonia Paiva , confeccionei a mascara da personagem "GATA" Processo de confecção:



Modelagem com Massinha



Antes de aplicar a tela de florista é importante impermeabilizar o molde de massinha com vaselina em pasta.






Empapelamento



Mascara fora do molde de massinha , pronta para a fase de acabamentos.


quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Várias formas de máscaras

Em toda a historia cultural do teatro encontramos como recurso presente as mascaras que certamente são importantes elementos de comunicação que representam entidades e tipos capazes de “transmitir a essência da vida de seu povo”. Existem vários tipos de mascaras de definições características especificas que assumem suas funções dentro do contexto de utilização, que propõem um estado de representação.O trabalho de confecção de uma mascara teatral não consiste apenas em conhecer a técnica mais sim em saber o contexto no qual esta está inserida, a época, suas relações com o espaço que será utilizada, estilo de linguagem da encenação, em fim uma serie de fatores que compõem particularidades que as tornam fundamentais com objeto dramático.

Dentro desse contexto o grupo Moitará desenvolve um séria pesquisa sobre os tipos de mascaras, suas formas de confecção, e a importância de sua utilização como objeto dramático e socialmente representativo.


Seguindo as definições do grupo Moitará sobre os tipos de mascaras temos:


Mascaras Larvárias


Correspondem as mascaras de rostos inacabados com formas simplificadas da figura humana, como o próprio nome diz um estagio embrionário, que remetem ao primeiro estágio do inseto. Nesta fase as máscaras começam a ter caráter, a esboçar personalidade. De jogo largo que normalmente é orientado pelo nariz, essas “fazem parte do grupo de mascaras inteiras e silenciosas que não permitem a voz, mas exprimem a essência da palavra falada através das ações”. (Moitará)



“As Larvárias foram introduzidas no universo teatral na década de 60 pelo francês Jacques Lecoq. Estas mascara

s nos remetem a um espaço poético e delicado”.

“As máscaras são fixas e geralmente maiores que o rosto do ator, com pequenos orifícios no lugar dos olhos. O campo visual fica reduzido e é preciso aguçar os outros sentidos para atuar”. (Fonte: Revista Veja).

Máscaras Expressivas

São mascaras de feições mais elaboradas representam tipos que pedem um gestual próprio com definições de caráter, que traduzem estados de ânimo e inspiram situações determinadas. Estas também pertencem à categoria das Máscaras silenciosas, onde a palavra esta oculta nas ações físicas do personagem.

Esta é uma mascara de “jogo mi

nucioso e objetivo e pode ser enrique

cido com a presença da contra- máscara, direção inversa ao caráter principal da Máscara”.(M

oitará)


Máscara Neutra

"A Mascar neutra é uma mascara sem expressão, de fisionomia simples e simétrica sem conflitos, que propõe ao ator ampliar todos os seus sentidos”. A mascara neutra é o oposto da individualidade, pois ela se relaciona com todo o universo presente. Em si nada representa. Através dela o ator começa a

se perceber e aprender a desvencilhar -se de sua própria personalidade. Esta é uma mascara que não é “um personagem, é um estado que se apóia na calma e na perc

epção, fontes d

e vida para to

das as outras Máscaras” (Site: Moitará). Em uma mascara neutra percebe -se o ponto zero, onde o ator é um ser antes d

e qualquer definição.

“Trabalhar com mascara neutra leva o ator a perceber as nuanças entre o seu estado- matéria ou estado - objeto (estar), o seu estado orgânico (ser) e seu estado -racional(analisar, deduzir)” (1)



Meia – Máscara


A meia masca

ra ou mascara falante que cobrem apenas a parte superior do rosto. Estas já dispõem de caráter e está inserido em um cont

exto social, ou seja, “geralmente representam "tipos-fixos", podendo cond

ensar nelas vários personagens”.O jogo dramático desta mascara propõe ao ator encontrar uma voz , um gestual, um corpo qu

e se encaixe ao propósito do personagem e da situação “levando o texto para além do cotidiano”. (moitará)




Máscara Abstrata


“São máscaras inteiras d

e

formas geométricas, sem menção animal ou humana, que propõe ao ator um jogo acrobático e abstrato criado a partir das linhas de força da máscara, relacionando-se com o espaç

o”. (Moitará)

“As mascaras abstratas levam o personagem para algo além das qualidades sociais, enfatizam o movimento e suas formas são metafísicas”. (2)




Tipos Populares

São mascaras que representam "tipos" populares. Onde suas características busca assumir fisicalidade e a vocalidade, típica assim como seu contexto cultural.

Neste contexto “o grupo Moitará vem, dedicando-se a uma investigação inédita: elaborando a confecção de Máscaras de "tipos" brasileiros e codificando seu jogo a partir de suas características, fazendo alguns paralelos com os tipos-fixos da Commedia Dell'Arte.” (Moitará)



Referencias Bibliográficas
Livro
AMARAL, Ana Maria ___ Ator e Seus Duplos: Máscaras, Bonecos, Objetos, O
editora: Senac
Site :
http://grupo.moitara.sites.uol.com.br/PesquisaFrame.htm.
Fonte das Imagens:
Mascaras Larvárias:
Disponíveis em:
http://grupo.moitara.sites.uol.com.br/PesquisaFrame.htm
http://www.tepa.com.br/muraldotepa/larvarias/larvarias.htm
Mascaras Expressivas
Disponíveis em:
http://grupo.moitara.sites.uol.com.br/PesquisaFrame.htm
Mascaras Neutras
Disponíveis em:
http://www.grupomoitara.com.br/h100_por.php?fid=23&anome=Máscaras&fseq=1&atnome=0&padrao=old&download=
Máscara Abstrata
Disponíveis em:
http://grupo.moitara.sites.uol.com.br/PesquisaFrame.htm
http://3.bp.blogspot.com/_03yel7aABaM/SSicdtoOoeI/AAAAAAAAAEE/lSIWfByvAxE/s200/ABSTRATA.JPG
Tipos Populares
http://grupo.moitara.sites.uol.com.br/PesquisaFrame.htm